Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de abril, 2023

Anton Bruckner, de maneira surpreendente, é um compositor "na moda". Ele não conheceu isso em vida…

O Romantismo do Século XIX (1810 - 1910, Vol. VII, Capítulo XV - Parte 3) Anton Bruckner (1824 - 1896) “Bruckner, de maneira surpreendente, é um compositor "na moda". Ele não conheceu isso em vida - uma vida que ocupa o miolo do movimento romântico (1824-1896). Teve um ou outro raro sucesso na Viena que dava a Brahms o primeiro lugar entre os músicos. Foi cruelmente perseguido pelo maior crítico da época - Hanslick. Era desajeitado, e conservou por toda a vida um certo ar "caipira", com suas roupas excêntricas. (…)” ( http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142010000200025 ) Anton Bruckner: Mass No. 1 in D minor, WAB 26 Anton Bruckner: Symphony No. 3 in D Minor, WAB 103: I. Gemäßigt, mehr bewegt, misterioso (1º and.) “(…) Mas esse eterno "gauche" teve seguidores dedicadíssimos - como Gustav Mahler; e, de repente, depois de décadas de negligência, ele está em todos os programas, é destaque no Festival de Salzburgo. Mistério do gos

Anton Bruckner, um retrato do homem, de sua formação como músico, e de seus esforços para…

O Romantismo do Século XIX (1810 - 1910, Vol. VII, Capítulo XV - Parte 2) Anton Bruckner (1824 - 1896) “(…) …um retrato do homem, de sua formação como músico, e de seus esforços para fazer aceitar a sua obra – inclusive revisando e deixando revisar tantas vezes as suas sinfonias, que legou, aos músicos do futuro, a missão delicada de decidir qual é a sua versão mais autêntica. Mas também da obra única de um homem que animado por uma fé sem conflitos em seu “bom Senhor Deus”, deixou uma obra de intensa espiritualidade.” ( https://www.martinsfontespaulista.com.br/menestrel-de-deus-o-vida-e-obra-de-anton-bruckner-312697.aspx/p ) Anton Bruckner: Symphony no. 2 in C Minor, WAB 102: I. Moderato (1º and.) Anton Bruckner: Symphony no. 2 inC Minor, WAB 102:  II. Andante (2º and.) Anton Bruckner: Symphony no. 2 in C Minor, WAB 102: III. Scherzo (3º and.) Anton Bruckner: Symphony no. 2 in C Minor, WAB 102: IV. Finale (4º and.)

A história do compositor Anton Bruckner que, recebendo o legado sinfônico de Beethoven e Schubert, abriu…

O Romantismo do Século XIX (1810 - 1910, Vol. VII, Capítulo XV - Parte 1) Anton Bruckner (1824 - 1896) “(…) A história do compositor que, recebendo o legado sinfônico de Beethoven e Schubert, abriu caminhos inteiramente novos para a sinfonia do futuro (…) Nascido em 1824, na Baixa Áustria – três anos antes da morte de Beethoven – Bruckner viveu 72 anos (a La Bohème, de Puccini, foi escrita em 1896, o ano de sua morte). E, no entanto, a sua produção é tão pessoal, de certa maneira tão independente do que acontecia à sua volta, que foi necessário esperar pelo século XX para que a originalidade de suas sinfonias e de sua música sacra fosse reconhecida. (…)” ( https://www.martinsfontespaulista.com.br/menestrel-de-deus-o-vida-e-obra-de-anton-bruckner-312697.aspx/p ) Anton Bruckner: Symphony No. 1 In C Minor, WAB 101: I. Allegro (1º and.) Anton Bruckner: Symphony No. 1 in C Minor, WAB 101: II. Adagio (2º and.) Anton Bruckner: Symphony No. 1 In C Minor, WAB 101: III. Scherzo (3º and.) Anton B

Anton Bruckner, homem de personalidade singular espantava pelo seu comportamento incomum:…

O  Romantismo do Século XIX (1810 - 1910, Vol. VII, Capítulo XVI) Anton Bruckner (1824 - 1896) “(…) homem de personalidade singular espantava pelo seu comportamento incomum: a profunda religiosidade convivendo com uma mórbida atração pela morte; a numeromania compulsiva, numa pessoa de modos simples, interioranos, que parecia deslocado na sofisticada Viena, capital do Império Austro-Hungaro. E, no entanto, ele revolucionou a História da Música. (…)” ( http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142010000200025 ) Anton Bruckner: Symphony No. 0 in D Minor "The Zeroth", WAB 100: I. Allegro (1º and.) Anton Bruckner: Symphony No. 0 in D Minor "The Zeroth", WAB 100: II. Andante (2º and.) Anton Bruckner: Symphony No. 0 in D Minor "The Zeroth", WAB 100: III. Scherzo: Presto (3º and.) Anton Bruckner: Symphony No. 0 in D Minor "The Zeroth", WAB 100: IV. Finale: Moderato (4º and.)

Bedrich Smetana não chegou a ser o Mozart como desejava quando criança, mas pode comparar-se a outros grandes nomes da música…

O Romantismo do Século XIX (1810 - 1910, Vol. VII, Capítulo XV - Parte 12) Bedrich Smetana (1824 - 1884) “(…) Smetana não chegou a ser o Mozart como desejava quando criança, mas pode comparar-se a outro grandes nomes da música. Superou Glinka, Sibelius, Greig e Chopin na força do reconhecimento de seus compatriotas. Igualou Liszt em técnica pianística. E foi Beethoven, ao menos na surdez em que produziu as suas últimas obras, e Schuman, na loucura em que morreu. (…)” (http://almanaque.folha.uol.com.br/musicasmetana.htm) Bedřich Smetana: Memories of Bohemia in Polka Form, Op. 13 - Polka in E minor Bedřich Smetana: Polka in F minor for Piano Bedřich Smetana: Impromtu for Piano No. 3 “(…) O triste final da vida de um grande compositor como Smetana é a prova de que a surdez também pode enlouquecer, especialmente quando ocorre com um compositor no exato momento em que entra na fase mais madura de sua arte. Smetana é tido em todo o mundo como o primeiro criador de um estilo musical autentica

física tornava-se cada vez mais delicada…

O Romantismo do Século XIX (1810 - 1910, Vol. VII, Capítulo XV - Parte 11) Bedrich Smetana (1824 - 1884) “(…) No ano seguinte, reuniria forças para escrever sua penúltima ópera, "O Segredo", e terminaria, em 1881, a oitava e última ópera, "O Muro do Diabo". Em 1883, ainda tentaria compor outras obras, mas sua situação física tornava-se cada vez mais delicada. (…)” (http://almanaque.folha.uol.com.br/musicasmetana.htm) Bedrich Smetana: Ópera “Tajemství” - O Segredo (1878 - completa, legendas em inglês) Bedrich Smetana: Ópera “Certova stěna” - A Parede do Diabo (1882 - completa) “(…) Passou a ser vigiado noite e dia, pois havia sempre o perigo de que comete-se suicídio. Também passou a não reconhecer nem a própria família, sofria de intermináveis dores de cabeça e de violentas crise de nervos. Trabalhou vários anos do fim de sua vida em adaptação da peça "Noite de Reis" de Shakespeare, intitulada "Viola". Ele já havia feito 363 compas